16 outubro 2015

Quando nasce uma criança, nasce a culpa - até onde?

O objetivo não é julgar e sim alertar.
Essa criança de +ou- 4 anos estava na minha frente na fila da padaria.
1o pediu refrigerante e o pai deu, ainda por cima direto na lata e sem nem limpar.
Depois pediu batata frita de latinha e ele igualmente deu.
E ia pedindo e pedindo e o pai dando, não sei se por culpa ou por falta de conhecimento em questões de alimentação, consumo e limite.
No decorrer de menos de 10 minutos, ele chegou ao caixa com sua conta, o refri, a batata, um biscoito de chocolate e um pacote de confeito.
OK, cada um educa da sua maneira, cada um alimenta da sua maneira e sim, quando nasce uma criança, nasce a culpa nos pais. Culpa que nos persegue em diversos aspectos.
Só que não podemos deixar que essa culpa prejudique o futuro dessas crianças.
Como? Reflexão, mente aberta para diversos conceitos e não viver com a desculpinha - comigo foi assim e estou vivo.
O menino infelizmente já aparentava sobrepeso, fora outros aspectos que não pude avaliar.
Quer dar uma guloseima para uma criança nessa idade? OK, o filho é seu, mas não foi 1, foram várias! E refrigerante nessa idade, para que????
Realmente me choco com o volume de informações sobre saúde infantil que nem precisamos buscar, pois estão povoando as redes sociais, e mesmo assim, essa cena que presenciei, não é exceção...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por entrar em contato