22 janeiro 2015

1o dia - com pouca água - 20/01/2015

Olá pessoal.
Diante dessa nova realidade que se apresenta em meus dias, resolvi começar a compartilhar como tem sido a rotina de uma família com 2 adultos, 1 criança e 1 cão pequeno sem água frequente. Talvez, possa ajudar outras pessoas durante a crise hídrica e também despertar novos hábitos de economia para quem AINDA não passa por isso.



Em 12 de outubro do ano passado, tivemos um breve ensaio de como isso seria, mas nem de longe semelhante ao que passamos agora. Na época, o síndico do prédio encomendou um caminhão pipa para abastecer durante 1 dia e 2 dias depois, a água voltou a abastecer o prédio normalmente.

Eis que na última 3a feira, pela manhã, ao abrir a torneira me deparo com essa água bem fraquinha. Soube que realmente estava acabando.

Obs: Não desperdicei nem a água que caía enquanto fotografava.



 
Não demorou muito e logo acabou. Não é minha prática sair estocando água em grande quantidade, uma vez que moro em condomínio com várias outras pessoas e seria injusto pensar só em mim, guardo somente 1 litro para lavar as mãos, escovar dentes e outro litro filtrada para uma emergência. Obviamente, muitos pensam diferente e ao saberem que a água está acabando, correm para estocar e assim, acaba mais rapidamente...


Meu filho está almoçando na escola durante essa semana, então a solução para precisar de menos água em casa foi sair com meu marido e almoçar na rua.
Como passamos a tarde toda na rua, também não foi necessária água no banheiro para as necessidades básicas.
Ao chegarmos, soubemos que a água havia entrado durante o dia no prédio, mas os registros permaneceram fechados para conseguir encher as caixas, e só foi possível encher 1! Às 18h abriram os registros. Meu marido correu para tomar banho com meu filho.
Durante o banho, ele continuou com as práticas básicas de economia: torneira fechada enquanto se ensaboa, banho rápido e ralo fechado, pois temos banheira e essa água do banho aproveitaríamos na caixa acoplada do vaso sanitário.
Às 21h, quando fui tomar banho, a água estava bem fraquinha. Quando estava quase terminando o banho, faltava tirar o sabão do rosto, ela acabou! Meu marido trouxe um pouco do litro que havíamos guardado e terminei de lavar.
Com os 3 banhos, armazenei menos de 50 litros, a água não batia nem no tornozelo.

Combinei com meu marido de usarmos somente 1 vaso sanitário. Quando for urina, ela permanece no vaso e jogamos apenas um pouco de essência de citronela para amenizar o odor. Já quando são fezes, não tem jeito, precisa mesmo da descarga, é aí que entra a água do banho armazenada (ainda bem que tem essa!). Só que essa água no dia seguinte começa a cheirar mal, então joguei na água da banheira, água sanitária e citronela também.
E você começa a rezar para não ter vontade de fazer o "número 2" em casa, para não precisar gastar aquela água... a que ponto chegamos...

Para o jantar, eu já tinha comida pronta de outro dia e apenas fiz um arroz com a água filtrada que havia guardado. Nessa situação, prefiro evitar feijão em casa, pois o prato fica mais sujo. A comida mais seca, suja pouco o prato, então depois passo um papel toalha no prato e nos talheres e guardo dentro da geladeira para utilizar novamente.

A panela que utilizei para fazer o arroz, deixo com arroz mesmo dentro da geladeira, e olha que detesto panela na geladeira, mas numa situação assim, é o melhor a fazer para não sujar outro utensílio e não ter que lavar a panela. Além disso posso reutilizá-la para fazer outro arroz passando apenas um papel toalha.



E assim vamos, de pouquinho em pouquinho aprendendo a viver sem ou quase sem o item mais essencial para nossa vida - A ÁGUA. Só não sei até quando será possível...




2 comentários:

  1. Nossa... que situação heim... tomara que as coisas melhorem e parabéns pela iniciativa e inteligência em economizar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. pois é, estamos aqui cada dia aprendendo um pouco mais e vamos que vamos. obrigada pelo incentivo!

      Excluir

Obrigada por entrar em contato