29 dezembro 2014

Leites - qual a sua escolha? qual a sua necessidade?

E hoje vou falar sobre um tema bastante controverso - tomar ou não leite de vaca.

Muitas pessoas não podem tomar por alergia ou intolerância devidamente diagnosticadas,  e não é essa minha abordagem pois não tenho conhecimento técnico para isso.

A questão é quando não temos restrição e por algum outro motivo preferimos outro tipo de leite, seja por convicção, orientação, paladar ou apenas moda.

Não é impossível abdicar do leite de vaca mas é um trabalho árduo achar outras opções com facilidade ao comer na rua.

Outro dia, estava num restaurante vegetariano com uma amiga intolerante e, mesmo lá, eram poucas opções sem lactose ou veganas, por incrível que pareça. Numa padaria comum, por exemplo, se ela quer tomar um cafe com leite, precisa levar o leite dela, ou comprar no local, isso se tiver.

Dentre as outras opções, descarto totalmente o leite de soja. Se analisar com cuidado o rótulo, verá que é assustadora a quantidade de aditivos químicos, sem falar na possibilidade da soja transgênica!

Também um pouco preocupantes são os leites zero lactose ou baixa lactose. Olhe bem o rótulo e veja quanta modificação para torná-lo assim.

Se você opta pelos leites vegetais, especialmente os importados, repare na data de fabricação. Obviamente, para passar por todo o processo de importação, aquele leite já está na caixinha há um bom tempo, o que não me agrada muito.

Sendo assim, quando quero utilizar leites vegetais, prefiro fazer em casa, são super fáceis e em breve vou compartilhar aqui como prepará-los.

Já li diversos estudos sobre o mal da ingestão de lactose, principalmente na fase adulta, mas ainda não me convenci 100% disso e prefiro consumir, mas com pouca frequência. Quando compro leite de vaca, acho melhor utilizar o leite fresco, aquele que fica na geladeira do supermercado. Geralmente, foi fabricado há poucos dias e a validade é bem pequena, ou seja, não são adicionados diversos produtos para mantê-lo por mais tempo.

Também opto por esse tipo de leite, considerando a hipótese que por não serem produzidos em larga escala, as vacas também não são tão sacrificadas na produção como em grandes produtores. Ok, é apenas uma dedução com base no que leio sobre um e outro produtor, mas de fato ainda não visitei o local para ter certeza disso. Não me agrade nem um pouco a ideia de tomar um leite vindo de um animal que passou por maus tratos, chegando até a ter mastite e seu bezerro ser desmamado para produzir em maior escala.

Portanto, como disse no início do texto, meu objetivo não é questionar a opção de tomar ou não o leite, mas sim abordar outras opções de forma prática e clara.

foto - cinqv

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por entrar em contato